Data: 06/12/2023

Pêssego vira doce, cosméticos e até cerveja; veja curiosidades sobre a fruta que é símbolo da imortalidade


Série 'De onde vem o que eu como' mostra detalhes e curiosidades do plantio em Jarinu, no interior de São Paulo. Cidade produz, anualmente, mais de 3 mil toneladas da fruta. De onde vem o Pêssego A casca aveludada e a doçura são apenas dois entre tantos atributos do pêssego, fruta de origem asiática, que conquistou o paladar dos brasileiros. Não é à toa que ela é frequentemente usada no preparo de sobremesas. Sabia que o trigo espera até um ano e passa por mais de 30 processos antes de virar pão? Pavê de pêssego, pêssego em calda e torta de pêssego são as formas mais comuns de consumo, mas há outras maneiras surpreendentes. Na China, a fruta já foi considerada um símbolo da imortalidade. Já nos tempos atuais, o pêssego está na fabricação de cosméticos, sucos e até cerveja. Para mostrar como funciona o cultivo e curiosidades sobre a fruta, o g1 foi até Jarinu, no interior de São Paulo. O município colhe, anualmente, mais de 3 mil toneladas de pêssegos e é o 2º maior produtor do estado. Neste neste episódio da série "De onde vem o que eu como", você descobre ainda: 🌱 como cultivar pêssegos; 🍑 a diferença entre as espécies; 🍺 como é feita a cerveja de pêssego; 🍰duas receitas inovadoras com a fruta. Créditos 'De onde vem o que eu como': Coordenação editorial: Luciana de Oliveira Edição e finalização: Gustavo Wanderley Reportagem: Rafaela Zem e Fábio Tito Narração: Marih Oliveira Produção e Roteiro: Rafaela Zem e Tatiana Caldas Coordenação de vídeo: Tatiana Caldas e Mariana Mendicelli Coordenação de arte: Guilherme Gomes Ilustrações: Wagner Magalhães, Gabs e Luisa Rivas Fotografia: Fábio Tito Motion Design: Vitória Coelho Motorista: Ricardo Américo Barbosa No Brasil, o pêssego é mais consumido nas sobremesas Fabio Tito/g1 Cerveja de pêssego demora quase um ano para ficar pronta Fábio Tito/ g1 Allan Maple deixou a carreira de cientista para fazer cervejas artesanais de pêssegos Fábio Tito/ g1 Jarinu é a segunda cidade que mais produz pêssegos no estado de São Paulo Fábio Tito/ g1 Quarta geração de uma família de produtores, Rodrigo Parise conta com o apoio da tecnologia para monitorar os negócios Fábio Tito/g1 Na fazenda de Rodrigo Parise, parte dos pêssegos é exportada Fábio Tito/g1 Ao lado do filho, Sandra Cristina de Lima completou nove anos trabalhando com a colheita de frutas Fábio Tito/ g1 Para valorizar o cultivo local, Samuel Oscar Jordão Machado criou sobremesas com pêssegos Fábio Tito/ g1 Veja como outros alimentos são produzidos De onde vem a manga Trigo espera até um ano e passa por mais de 30 processos antes de virar pão De onde vem a abóbora do Halloween